Buscar
  • briskloggroup

Compras de Natal podem ficar comprometidas pelo congestionamento nos portos da China


Uma grande preocupação do comércio são as vendas de Natal deste ano. Além de mais um ano atípico por causa da pandemia, surtos de Covid-19 em alguns portos da China tendem a provocar atrasos nos embarques de mercadorias e o cliente poderá sentir a falta de muitos produtos na hora das compras de fim de ano.

Os transtornos começaram no mês de maio, quando foi identificado um surto de Covid-19 com aumento rápido de casos, o que levou as autoridades da província de Guangdong, sul da China e onde estão alguns portos importantes para o transporte de mercadorias, cancelaram as atividades comerciais, suspenderam voos e promoveram o lockdown nas comunidades ao redor.

Como essas medidas afetam o comércio exterior

Mesmo com a redução das taxas de infecções e o restabelecimento das operações portuárias, ainda abaixo da capacidade, os fechamentos de portos e cancelamento de voos prejudicaram o embarque de mercadorias e causaram um acúmulo de contêineres esperando para sair, além de vários navios à espera para atracar.

As paralisações das atividades geraram um efeito dominó, atingindo outros importantes portos da região que também acabaram sendo atingidos. O quadro ainda é de grandes atrasos, com demora de mais de 10 horas para a retirada de contêineres e a situação é preocupante no sentido de que mercadorias podem atrasar para chegar aos seus destinos e as pessoas devem estar preparadas para a possibilidade de não encontrarem nas prateleiras vários produtos e presentes de Natal e fim de ano.

Além dos congestionamentos nos portos e atrasos atuais, é sabido que a demanda vai crescer no segundo semestre, já que é comum haver um volume maior de compras neste período devido às festas de fim de ano.

Quais são as previsões para o comércio exterior?

A tendência é de que os congestionamentos continuem, com previsão de que se leve meses até tudo voltar ao normal, isso se não houver novos surtos que obriguem o fechamento de portos, cancelamentos de voos e lockdown nas comunidades.

Além dos atrasos nos embarques dos produtos chineses, as empresas ainda estão lidando com o aumento dos custos de transportes também por decorrência desse cenário e do crescimento das demandas.

O que podemos aprender com toda essa situação?

Tudo o que vem acontecendo mostrou uma fragilidade no abastecimento global, com uma dependência muito grande de poucos países, o que inviabiliza qualquer erro, devendo as empresas cuidarem para ter uma logística muito bem planejada e dinâmica para que não sofram grandes prejuízos.

Em especial para as compras e abastecimento de produtos chineses nas prateleiras do comércio, a gestão deve se preocupar em antecipar as negociações, antecipando os cronogramas, com planejamento minucioso e estratégico para não serem surpreendidos com a falta de estoque e perdas nas vendas, principalmente em se tratando dos produtos de Natal.

O melhor é já fazer um levantamento dos produtos necessários e projetar a longo prazo. Também é aconselhável adquirir volumes maiores de mercadorias, já que isso pode impactar nos custos, além disso, é preciso pensar que a situação do congestionamento nos portos pode se prolongar.

Por isso, é preciso planejamento para que esse congestionamento nos portos não afete o financeiro da empresa. Conte com aBrisk Logistics Group para tomar decisões mais assertivas e obter sucesso no seu negócio!

33 visualizações0 comentário